Como contribuímos para uma maior sustentabilidade alimentar?

Semanalmente a ementa disponibiliza um prato à base de ovo ou uma combinação de leguminosas e cereais. Estas opções fornecem a proteína preconizada para a refeição do almoço, substituindo a carne e o peixe, pelo que estas ementas são nutricionalmente equilibradas.

Esta medida enquadra-se no âmbito das orientações da FAO – Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura, que recomenda uma diminuição do consumo de carne, de forma a contribuir para a sustentabilidade do sistema alimentar.  As alterações climáticas são uma realidade e globalmente a alimentação deverá responder a estas exigências. Vários estudos demonstram que o consumo de proteína de origem animal tem impacto sobre o ecossistema 16 vezes superior em comparação à proteína de origem vegetal. Recentemente, também a Direção Geral de Saúde emitiu um conjunto de recomendações, que podem ser consultadas em:  https://www.sns.gov.pt/noticias/2019/01/03/alimentacao-mais-saudavel-em-2019/, nomeadamente ' Uma vez por semana substitua a refeição de carne por um prato vegetariano ou ovo-lacto vegetariano. Uma refeição de carne a menos por semana, ao longo de um ano, equivale a poupar, em emissões de carbono, cerca de 500 km de automóvel.'

Por outro lado, existe evidência científica de que o consumo elevado de produtos de origem vegetaldiminui a probabilidade de desenvolvimento de doenças crónicas não transmissíveis, como a doença cardiovascular, doença oncológica, diabetes, obesidade e hipertensão arterial, enquanto o consumo de carne (>100 g/dia) está associado a risco de cancro do cólon.

 

BESbswy
BESbswy